8 serviços que sua escola pode fazer para conquistar relacionamentos duradouros com famílias e estudantes

Embora seja vista como um ambiente de aprendizagem, a escola deve ser hoje muito mais que isso. Criar relacionamentos duradouros com as famílias e seus estudantes é uma forma de dar ainda mais valor a essa comunidade escolar e seu papel na formação de estudantes integrais

Qualidade Pedagógica já não basta no desafiador mercado de Educação!

Sim, o ensino deve ser cada vez mais diferenciado, mas é apenas parte do que as escolas devem entregar a alunos e pais. As famílias buscam uma experiência satisfatória com as escolas que irão participar ativamente do desenvolvimento de seus filhos e filhas.

O que os pais esperam das escolas

Já escrevi nesta coluna anteriormente que entre os cinco aspectos que os pais mais valorizam em uma escola, o primeiro e terceiro estão relacionados a atendimento e relacionamento (cuidado e atenção com o filho(a) e relacionamento próximo e participativo com a escola, como apontam os dados da Pesquisa ClassApp 2017). 

Pais e alunos avaliam a escola por um conjunto de aspectos que vão além do ensino e passam, entre outros fatores, por:

  • Recursos educacionais que possam tornar o aprendizado mais fluido e atrativo para a criança ou jovem;
  • Qualidade e atratividade das instalações;
  • Qualidade do atendimento;
  • Relacionamento próximo e individualizado com a escola;
  • Facilidade de comunicação;
  • Conveniência nas interações; 

É essencial, portanto, compreender toda a extensão da experiência da família com a escola, para cultivar relacionamentos duradouros. 

Esquema: pirâmide elencando os serviços e produtos que despertam sentimentos positivos e aprendizagens valiosas para estreitar o relacionamento com famílias e estudantes

Como desenvolver produtos e serviços, para obter relacionamento

1. Ensino

Alguns dos aspectos que a nova educação deve se propor:

  • Com o desenvolvimento do(a) estudante integral, com domínio de outras habilidades além do cognitivo: intra e interpessoais;
  • À aprendizagem em ambientes coletivos, favorecendo aspectos de convívio social e trocas construtivas;
  • À formação de professores que atuem como guias e provoquem os aprendentes a uma aprendizagem ativa, desenvolvendo soluções para problemas reais;
  • À entrega de conteúdos centrados no interesse dos alunos, respeitando o ritmo e forma de aprendizagem de cada um.

2. Conveniência

Facilitar o contato e as interações (tanto no primeiro atendimento, quanto no atendimento aos alunos e alunas).

Hoje há soluções para atendimento por múltiplos pontos de contato. Reconhecer as famílias e oferecer novas formas e/ou canais para agendamento de visitas ou reuniões. Oferecer formatos de aprendizagem práticos, convenientes e de fácil acesso para os alunos.

3. Design

As instalações, materiais de aprendizagem, uniformes e apresentação pessoal, organização do ambiente, site e materiais de comunicação, são aspectos que ajudam tangibilizar a qualidade da instituição e devem ser compatíveis com o seu posicionamento. 

4. Atendimento

  • Aos e às estudantes

Facilitar que os professores e professoras conheçam histórico, questões familiares,  desempenho e trajetória escolar dos alunos e das alunas; o que os desafia e a forma como melhor aprendem, para entendê-los(as) e atendê-los(as) cada vez melhor.

  • Às famílias

Dedicar atendimento individualizado e construir proximidade. Tecnologias como CRM e Inteligência Artificial, devem permitir reconhecer o cliente, identificar seu histórico para gerenciar melhor a relação. 

5. Entretenimento

  • Para estudantes

Usar propostas de ensino inovadoras, por meio de tecnologia, para instigá-los (as) e engaja-los (as) como aprendizagem colaborativa, aulas imersivas, atraentes e divertidas para os alunos. 

  • Para famílias

Uso de tecnologia para apresentar a escola de maneiras inovadoras, como o uso de QRCodes para contar a história e trazer vida a ambientes de ensino.

  • Para professores e professoras: 

Desenvolvimento profissional autodirigido, interativo e on-line.

Baixe o livro digital sobre práticas e metodologias ativas e inove nas aulas de sua escola.

6. Educação

Neste caso não se trata do ensino de alunos e alunas, mas sobre como educar famílias e estudantes sobre o valor da escola. 

Para contar histórias (storytelling), é preciso ouvir as famílias, entender suas expectativas. E antes de tudo, definir com clareza o que contar – a essência competitiva da escola. 

Só assim o “produto” (Educação) vira apaixonante: quando a escola consegue mostrar o que só ela oferece e os ganhos para a vida do aluno e da aluna. 

7. Cocriação (Personalização)

Desenvolver estratégias de aprendizagem personalizada, com uso de tecnologias educacionais que possibilitem ao aluno e à aluna orientar sua própria instrução (aprendizagem adaptativa).

8. Doação (intenção sustentável)

Relacionada à propósito. Cada vez mais os consumidores buscam marcas com responsabilidade social, que contribuem para o desenvolvimento da comunidade da qual faz parte. Não seria diferente nas escolas.

Quais ações sua escola faz para melhorar o mundo?

Por fim, dar carinho, para nutrir relacionamentos.

Se sua escola dá carinho e atenção para estudantes e famílias, eles e elas retribuem com relacionamento. Se seus líderes dão carinho e atenção para os colaboradores, eles retribuem com engajamento, motivação, paixão…e relacionamento 

Para que isso aconteça, pense que antes do foco no(a) estudante, desenvolva o foco no(a) colaborador(a). Subir a pirâmide deve ser tarefa conjunta: envolva seu time, trabalhe junto, permita e facilite as contribuições.  A inovação vem deste lugar!

* Lais Bisordi Exel é palestrante e Consultora de Cultura, Gestão de Atendimento e Inovação, especialista em Instituições de Ensino na Ponto de Referência.

Leia mais artigos da Laís Bisordi Exel:

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami