Dois passos para promover a integração de pessoas, colaboração e foco nos alunos e familiares da escola

Em seu novo artigo, Laís Exel Bisordi fala sobre a importância do foco nos estudantes e seus familiares nas integrações e colaborações de toda a equipe da escola

Um dos temas em alta atualmente é GENTE. No último evento de tendências da Federação Nacional do Varejo (National Retail Federation, no inglês), em Nova York, este foi um dos grandes focos. Sabemos que a qualidade de nosso atendimento ao cliente final (estudante ou mesmo familiares e responsáveis) depende muito do esforço conjunto de como as pessoas trabalham e se ajudam para auxiliar quem está mais próximo do cliente.

Portanto, meu foco neste texto é trazer contribuições sobre como melhorar a integração das pessoas, para conquistar colaboração, desenvolvimento das equipes e das áreas, o que resulta em boa experiência para as famílias. Para atender bem estudantes e famílias, é preciso envolver todos na escola e criar compromissos coletivos de como as áreas podem ser ajudadas. Como as pessoas e áreas estão colaborando entre si?

Muitas vezes as coisas “emperram” dentro da escola, por falta de compreensão de uma área pela outra (ou entre pessoas): Quais são as dificuldades que as outras áreas encontram para realizar uma atividade que uma delas planejou? Qual apoio é necessário para aquela área desempenhar bem seu papel? E a outras?

Uma situação comum nas escolas, que ilustra este tema, é quando o setor pedagógico planeja uma atividade ou evento e não tem conhecimento dos impactos e das dificuldades que a área administrativa tem para realizar aquela tarefa.

O objetivo é sistematizar os processos, replicar acertos e eliminar erros que acontecem, muitas vezes, por falta de comunicação e alinhamento. Para ajudar neste processo, é importante mapear quais áreas ou pessoas cada um atende – por exemplo, com quem o administrativo interage? Liste todas as pessoas ou setores.

Passo 1: Conhecendo a equipe

Primeiro cada um analisa sua área, definindo o negócio e escrevendo uma visão/causa para a área. Algumas perguntas podem ajudar nesta tarefa:

  • O que cada um pensa do trabalho que realiza?
  • O que faço?
  • Para quem?
  • Como eu faço?
  • Do que preciso?
  • Com quem consigo?

Passo 2: Combinar o que fazer

Em seguida, promova encontros entre estas pessoas para criar pactos constantes entre todos os envolvidos, para garantir que o cliente seja bem atendido na ponta. PACTO significa:

Pensar e
Agir
Coletivamente para
Transformar a
Organização.

Aqui, o Transformar é aplicado em uma organização que tenha como causa o foco nos estudantes e seus familiares.

Estabeleça uma matriz de interações, na qual uma pessoa entrevista e é entrevistada pela outra com quem interage, e assim sucessivamente, para entender, mais algumas perguntas:

  • O que eu faço de melhor para você?
  • O que faço que tem que melhorar?
  • Com que Atitude posso melhorar meu atendimento a você (ou sua área)?
  • Com quem preciso pactuar para melhorar meu atendimento?
  • Quais recursos preciso para melhorar meu atendimento?
  • A partir de quando passo a praticar o novo processo?
  • Qual indicador irá medir o que está sendo entregue?

Coloque em ação e verá que esta prática trará bem-estar e tranquilidade para todos trabalharem melhor, mais felizes e mais produtivos.

* Palestrante e Consultora de Cultura, Gestão de Atendimento e Inovação, especialista em Instituições de Ensino na Ponto de Referência.

Leia outros artigos que Lais já escreveu para o InfoGeekie:

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami