Wadada: quando a notícia é feita por crianças e adolescentes

Um iniciativa mundial, o Wadada News For Kids, é uma plataforma que une notícias feitas a partir da perspectiva de crianças e adolescentes ao redor do mundo! Com participação do Brasil, o projeto reúne pessoas de vários países com apoio de instituições e reúne notícias em 14 diferentes línguas.

Olhem só que iniciativa mais interessante!  Já imaginou um projeto todo dedicado a construir e divulgar notícias de todas as partes do mundo levando em consideração o universo infanto-juvenil? Essa é a Wadada- News for Kids, uma plataforma de produção e distribuição de notícias para esse público mais que especial. Pois bem, o processo todo acontece dessa maneira: a partir de uma pergunta trivial, “Quais são as notícias de hoje?”, uma rede de produtores de conteúdo em 20 países começa a pesquisar e contar histórias e a dar notícias, pelo ponto de vista das juventudes. Trata-se de um projeto da Free Press United, articulando produções vindas de diferentes partes do mundo, feitas por crianças e jovens, focando a realidade deste mesmo grupo etário. 

Uma rápida visita pelo site (Wadada News for Kids)  já mostra os temas que são trending topics por lá: meio ambiente, saúde, esportes, refugiados, animais e igualdade. 

A Free Press United, uma instituição holandesa, tem como missão trabalhar globalmente na promoção de informações que precisam chegar até seu público final. Eles acreditam fortemente no lema “people deserve to know”, que em outras palavras, significa que as pessoas merecem ter acesso às informações, sobretudo nossas crianças e jovens que precisam, cada vez mais, encontrar ferramentas para decodificar o mundo à sua volta, percebendo os desafios que nos cercam, mas também as potencialidades que se apresentam. 

As histórias, notícias e opiniões divulgadas pela plataforma Wadada alcançam mais de 100 milhões de pessoas e são produzidas em 14 diferentes línguas. Em si já se constitui num projeto multiétnico, multicultural e globalizado. Quanto aprendizado os participantes devem desfrutar nesse processo, não é? A Wadada é hoje uma rede de cooperação, organizando e publicando conteúdos periodicamente, sobre diferentes tópicos, sempre pelo olhar jovem. Todo o material produzido pelos parceiros é armazenado e publicado na plataforma, ficando à disposição para quem quiser utilizá-los. Para que o conteúdo tenha uma cara e uma abordagem especial, treinamentos e workshops são oferecidos aos envolvidos no processo, com ênfase na defesa de causas importantes para a infância e adolescência. Todo esse trabalho chama atenção de novos parceiros que se juntam à causa, oferecendo conteúdo e até mesmo apoio financeiro e logístico para que as produções possam ser realizadas mundialmente. Países como Brasil, Holanda, Ucrânia, Zâmbia, Bolívia e México são alguns dos participantes constantes da Wadada.

Trabalhando questões contemporâneas em linguagem acessível

Jan Willem-Bult é um dos organizadores da iniciativa e uma espécie de embaixador mundial do projeto, contando sobre o processo de criação das histórias e compartilhamento dessas experiências. Conhecido de longa data, tive a oportunidade de revê-lo durante o ComKids- Prix Jeunesse Iberoamericano de 2019, a convite de Beth Carmona, organizadora do evento, quando mediei uma mesa repleta de experiências internacionais voltadas para crianças e adolescentes, sempre tendo a produção de mídia como foco central. 

Dentro da perspectiva de atuação da Wadada, depois de coletarem diferentes histórias, notícias e opiniões dos parceiros dos 20 países que cooperam diretamente com a iniciativa, a plataforma de notícias organiza esse material em programas “jornalísticos” apresentados por Fiona, uma hostess que dá esse acabamento editorial às diferentes contribuições que chegam dos produtores internacionais. Fiona chama matérias, comenta notícias e dá voz aos jovens para que contem suas próprias histórias.  As crianças e jovens que estão envolvidos na produção do Wadada são categóricos em dizer que não se sentem atraídos por notícias contadas de forma convencional, a partir do ponto de vista do adulto. Gostam do que vêem e ouvem no Wadada justamente porque as histórias são interessantes, prendem a atenção e são apresentadas de maneira engajadora e divertida, como eles costumam apreciar! Eles ressaltam o fato de poderem conhecer as histórias de outras crianças e jovens como eles, percebendo tudo o que têm em comum, apesar das diferenças culturais e econômicas que os caracterizam. 

Edição global sobre “fake News”. 

Todo esse trabalho de defesa pelo direito à informação de qualidade, permitindo que crianças e jovens compreendam as questões contemporâneas numa linguagem acessível e atraente só acontece porque parceiros financiadores sensibilizam-se com essa causa e decidem investir diretamente no projeto. É o caso de doadores holandeses vindos do setor de mídia, contribuições de empresas privadas e instituições de defesa de direitos humanos, além do apoio de embaixadas e órgãos governamentais de diferentes partes do mundo. 

Wadada no Brasil e a parceria com a TV Cultura

No Brasil a iniciativa é levada à frente pelo Repórter Rá Teen Bum, produzido e distribuído pela TV Cultura. Quadros divertidos e informativos como “Gira Girou” e “Você viu?”  dão conta de provocar o público jovem e estimulá-lo em busca de novas histórias para serem compartilhadas com a rede mundial.  Exemplos? Então: matérias que falam da solidariedade entre alunos de escolas públicas e privadas num laboratório de robótica, alunos e professores indianos contam o que é preciso para que passem o dia todo na escola, a descoberta de um novo sistema solar, a experiência da menina Isabela com a equitação e o cuidado dos animais. Tudo isso incrementa o caldeirão de notícias e acontecimentos que interessam às crianças e jovens, ampliando suas referências e visões de mundo. Nada mais educativo, concordam?  

* Debora Garcia é pedagoga, mestre em Educação pela UFF, Fulbright Scholar pela Georgia State University, GA e especialista em Gestão do Conhecimento pela COPPE-UFRJ. É sócia-diretora da Elektra Conteúdo e colaboradora do Canal Saúde da Fiocruz. Foi Gerente de Conteúdo do Canal Futura por mais de 20 anos e é uma das autoras do livro “Destino: Educação – Escolas Inovadoras”, publicado pela Fundação Santillana/Ed. Moderna. Em 2017, em conjunto com Daniela Kopsch e Daniela Belmiro, idealizou e criou o blog “3DEVI”, um espaço para contos, ensaios e reflexões da mulher contemporânea.

Confira outros textos da Débora:

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami