Ensino e aprendizagem a distância: qual é o papel de cada um nas aulas remotas?

O isolamento social para conter o coronavírus foi contornado por muitas escolas com a adaptação das aulas para o ensino e a aprendizagem a distância. Confira dicas para tornar o ensino do(a) professor(a), a aprendizagem do(a) estudante e o apoio das famílias ainda mais significativos e eficazes neste novo contexto.

O uso de tecnologias com intencionalidade pedagógica já é realidade em escolas no Brasil, da Educação Básica ao Ensino Superior. Para essas instituições de ensino, o contexto atual de isolamento social – medida para conter a propagação do coronavírus – foi facilitado a partir da possibilidade de adaptar as aulas presenciais para o modelo a distância. 

Neste cenário, contudo, algumas adaptações são necessárias para que toda a comunidade escolar consiga manter a qualidade no processo de ensino e aprendizagem. Neste texto, elencamos algumas dicas gerais que valem para toda a comunidade escolar, e algumas orientações específicas para estudantes, professores(as) e famílias. Confira:

Dicas gerais: adaptando a rotina e o ambiente

A adaptação do trabalho e da aprendizagem física para a remota, de uma hora para a outra, pode ser complexa para quem nunca fez homeoffice. Nessas horas, o tempo e a produtividade são os maiores desafios, afinal, em casa há algumas distrações e ambientes que podem não ajudar muito no foco e na disciplina. Assim, este é o momento de aproveitar as experiências das empresas e instituições de ensino que adotam o trabalho ou a aprendizagem remotos para não se perder dentro de casa.

Dica 1: Mantenha a rotina

A primeira dica essencial é manter a rotina, como se o isolamento social não estivesse em vigor. Nosso cérebro está acostumado com as atividades do dia a dia: acordar, tomar café da manhã, trocar de roupa, preparar o material escolar e sair para a escola. 

O que muda nessa nova realidade é apenas o “sair para a escola”, logo, é importante que todo o resto continue como está. Toda essa preparação para chegar até a sala de aula condiciona nosso cérebro a assimilar diferentes momentos de nosso dia. Sendo assim, continue com a rotina normal até chegar ao seu ambiente de trabalho ou de estudo.

Dica 2: Crie seu ambiente de trabalho ou estudo

É comum que estudantes tenham em casa uma mesa ou escrivaninha dedicada aos seus estudos. Muitos professores e professoras também têm aquele cômodo ou espaço reservado para fazer suas leituras e preparar as aulas da semana. Estes ambientes são ideais para montar seu local de trabalho ou de estudos. Neles, docentes e estudantes podem organizar todo o material que usam no dia a dia da escola: estojo, caderno, computador, garrafa de água (afinal, é importante se manter hidratado(a) também em casa).

Se em sua casa não tem escrivaninha ou escritório, escolha um canto da mesa de jantar e faça dela seu ambiente de trabalho ou estudo. Quase todos os lugares podem ser adaptados. O “quase” está aqui apenas para um alerta: tente não misturar os ambientes pessoais e de lazer com os de estudo e trabalho. Estudar no sofá do lado do videogame ou da televisão, por exemplo, pode não ser a melhor opção, pois ali terá sempre algo te distraindo e te chamando para aquela partida online, um filme ou qualquer programa televisivo.

Dica 3: Estipule prazos bem definidos para a motivação de toda equipe

Se na escola, docentes e estudantes têm prazos para entregas de notas e atividades, por que em casa seria diferente? É importante manter e respeitar as datas de entrega e de realização de atividades mesmo a distância. 

Para o/a estudante, os prazos são importantes para criar a rotina de estudos necessária. Sem saber quando deve entregar a atividade, a procrastinação pode tomar conta e, no fim da semana, as atividades ficam todas acumuladas.

Docentes, coordenação e gestão também precisam se adaptar nesta questão. Para professores e professoras isso significa deixar sempre claro quando seus alunos e suas alunas devem enviar o exercício ou trabalho e, se possível, o tempo de dedicação necessário/recomendado para a realização de cada tarefa. Além disso, é importante definir o tempo de preparação das aulas para que ele não se confunda com o tempo pessoal e de lazer. 

Para a gestão e a coordenação, os prazos podem vir na forma de reuniões periódicas com a equipe docente. Agendar encontros virtuais semanais é uma ótima forma de verificar como está o andamento das aulas a distância, trocar experiências, solucionar dúvidas e manter toda a equipe motivada.

Docentes, estudantes e famílias: o papel de cada um no processo de ensino e aprendizagem a distância

Em um dia letivo qualquer, as pessoas da comunidade escolar já sabem as tarefas que precisam fazer, onde precisam estar e em qual horário, quais são os espaços de lazer e quais são voltados ao estudo. Para o ensino e aprendizagem a distância, no entanto, é necessário criar novos referenciais, formas de comunicação e rotinas de estudo com a ajuda das famílias e da escola.

Para te ajudar a orientar professores, estudantes e famílias da melhor maneira, selecionamos aqui algumas dicas importantes.

Professores: planejamento e orientações claras para momentos on- e off-line

Para docentes, há um maior tempo dedicado a preparações, que envolve selecionar materiais e programar as aulas e atividades que serão executadas nos momentos síncronos e assíncronos. O que na modalidade presencial costumava tomar mais tempo com os(as) estudantes em sala é substituído por período menor de interação on-line. Assim, o tempo que resta precisa ser dedicado à produção dos materiais para os momentos assíncronos. 

O momento assíncrono é aquele no qual professores(as) e estudantes não estão interagindo diretamente na aula virtual, mas a aprendizagem continua acontecendo dentro do estudo individual. Para que esse momento seja proveitoso, é importante escolher bem os materiais e direcionar as ações que são esperadas dos(as) estudantes. Esses conteúdos adicionais podem ser disponibilizados para estudantes por meio da aba “Materiais”, disponível dentro de cada um dos capítulos do Geekie One.

O momento síncrono, por sua vez, é aquele no qual professores(as) e estudantes estão presentes na aula virtual e fazem trocas de dúvidas, explicam conteúdos e dividem experiências.

Para organizar os momentos síncronos e assíncronos, muitas vezes é necessário  pensar em fazer modificações na carga horária atual para melhor redimensionar o tempo de estudantes e docentes. Para ver sugestões de como fazer isso, consulte o “Guia Geekie One: Práticas pedagógicas e ferramentas digitais para a aprendizagem a distância“:

Clique para baixar o Guia Geekie One e conferir mais dicas e orientações para a adaptação do ensino para a modalidade a distância

Outras orientações para professores e professoras, são:

Crie espaços para a colaboração nos momentos síncronos

Como apoio à criação das rotinas de estudo a distância, alguns professores(as) podem dedicar um tempo de suas aulas para que estudantes compartilhem dicas de organização e estudo, bem como as dificuldades que estão enfrentando. 

Dê orientações claras para as atividades assíncronas

Da parte que cabe aos(às) docentes, o sucesso dos momentos assíncronos de estudo individual depende em grande parte das orientações e preparação de materiais

Mesmo que os conteúdos selecionados pelos(as) docentes sejam de boa qualidade, sem uma instrução clara do que é esperado, os(as) alunos(as) podem consumi-los sem necessariamente fazerem conexões relevantes e trazendo poucas contribuições para a aula. Além disso, será preciso investir mais tempo em preparações e acompanhamento das atividades.

Estudantes: oportunidade para desenvolver autonomia, disciplina  e protagonismo

Aos estudantes e suas famílias, é indicado haver um maior senso de responsabilidade para cumprir com os horários das aulas on-line, em um ambiente tranquilo, sem distrações ou interrupções. Durante os momentos síncronos com professores(as),  é esperado que estudantes participem de fóruns ou chats, tragam suas dúvidas e reflexões e cumpram os combinados para contribuir com a dinâmica da aula. 

Já nos momentos assíncronos, que se tornam mais longos, é esperado que os alunos e as alunas explorem os materiais disponibilizados, façam as atividades e se preparem para as aulas on-line. 

Com toda essa organização, o ensino a distância será uma ótima oportunidade para praticarem e desenvolverem mais autonomia, disciplina e protagonismo. A escola pode fazer algumas orientações para estudantes e famílias e também incluir no planejamento o capítulo “Start: o Geekie One começou”, que traz explicações detalhadas para a organização dos estudos.

Aprender a aprender

Para se organizar melhor, o(a) estudante pode deixar visível e claro todas as coisas que precisa fazer em uma lista. O Geekie One apresenta uma agenda com as principais entregas de atividades na página inicial do estudante (na aba “Minha semana”) e dentro de cada componente curricular (na barra lateral direita em “Enviados pelo(a) professor(a)”). 

Além de seguir e listas as atividades listadas no Geekie One, o aluno ou a aluna também deve incuir em sua lista as atividades recomendadas e enviadas pelo(a) professor(a) (na aba “Materiais”, dentro de cada capítulo do material didático).

Com todas as tarefas elencadas, é hora de priorizar as atividades levando em conta a urgência e importância de cada uma. Por fim, é bom definir uma meta de tempo para realizar cada tarefa.

Comunicação para se manter atualizado(a) 

Em alguns momentos, o processo de aprendizagem será feito de maneira individual ou em grupo, mas sem a videoconferência com o professor. Por não terem a interação direta com docentes, os(as) estudantes precisam estar atentos e acompanhar diariamente os recados das escolas e dos(as) professores(as) nos canais oficiais de comunicação.

Famílias: hora de acompanhar e dar suporte ao processo de aprendizagem

No contexto de tantas incertezas e informações sobre cuidados com a saúde, a mudança repentina para o ensino a distância é mais um fator que pode causar insegurança e desconforto nos(as) estudantes, mas a família pode ajudar nessa transição.

Decoração do ambiente

Para trazer ainda mais conforto, a família pode encontrar formas de decorar o espaço de estudos com a cara do(a) estudante. Como é importante separar os espaços de estudo e de lazer, é possível até mesmo criar sinais para que todos saibam que não devem interromper a criança ou o adolescente durante um determinado momento de estudo.

Acompanhar de perto

Esta é uma oportunidade para famílias demonstrarem ainda mais interesse pelos estudos do(a) filho(a). Além de estudar junto os pontos de maior dificuldade e acompanhar os combinados com a escola, pais e mães podem utilizar os relatórios de atividades do Geekie One para terem visibilidade do processo de aprendizagem. 

Pausas e descontrações

Por fim, os estudos fazem parte de uma nova rotina em casa, fisicamente longe de amigos e outros locais que o(a) estudante costumava frequentar. A família pode prezar por interações mais frequentes entre as pessoas para valorizar a presença de cada um e inserir no dia a dia momentos que contemplem pausas, exercícios físicos e outras atividades para relaxar a mente.

Leia também:

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Posts relacionados
Bitnami