Resumo: uma evidência de aprendizado a distância

Como uma prática comum na vida acadêmica pode ajudar docentes no processo de avaliação neste momento de aulas remotas. Confira as possibilidades de usá-los em suas experiências de aprendizagem durante o período de distanciamento social.

Diariamente, docentes de todos os lugares se encontram diante do desafio de saber se suas turmas estão entendendo aquilo que está sendo explicado, ao mesmo tempo em que cada estudante precisa encontrar a sua forma de demonstrar o mesmo. Exercícios são uma das principais ferramentas para avaliar se o aprendizado foi atingido, mas não precisam ser a única estratégia. Em tempos de estudo remoto, esse desafio aumenta significativamente.

No mundo acadêmico, trabalhos extensivos, como dissertações de mestrado e teses de doutorado, sempre são introduzidos por um resumo, que objetivam ajudar a pessoa que produziu o texto a extrair o suprassumo de sua obra, enquanto oferece ao público-leitor a possibilidade de distinguir se aquele texto apresentará de fato o assunto que o interessa. Para quem corrige, o resumo fornece um suporte à análise da capacidade de síntese diante da quantidade de informações adquiridas ao longo do processo formativo.

Outro gênero textual também largamente utilizado no mundo acadêmico é o fichamento, um tipo de resumo apresentado em forma de tópicos geralmente extraídos de forma literal do texto original, que pode ser usado como fonte de consulta de quem aprende, mas também como evidência de entendimento e aprendizado de quem avalia.

Esses dois gêneros textuais não são exclusividade do ambiente acadêmico; prova disso é que podem ser ensinados desde o Ensino Fundamental 2 e incentivados a serem utilizados como ferramenta de coleta de evidências em todo o ciclo da educação básica. Nos capítulos Geekie One, a última página geralmente é dedicada ao resumo do capítulo, apresentado em tópicos, ora mais breves, ora mais desenvolvidos, com o intuito de condensar em poucas palavras aquilo que foi didaticamente explicado.

No nosso entendimento, produzir uma estruturação em forma de texto corrido pode ser positivo com estudantes que apresentam um nível de maturidade de escrita maior, enquanto o fichamento pode ser utilizado como evidências de aprendizado em estudantes em estágios mais iniciais. Ainda assim, há conteúdos mais pontuais, especialmente quando se fala de ciências exatas, que comportam um fichamento melhor do que um desenvolvimento em texto corrido.

É nesse ponto que entendemos o resumo – seja textual, seja fichado – como uma boa estratégia para auxiliar na captação de evidências do aprendizado, mas não somente para serem apresentadas ao/à professor(a), como também para si, especialmente em momento posterior à aula, de estudo individual. A seguir, são apresentadas algumas das habilidades colocadas em prática por estudantes ao fazer uso do resumo como estratégia de captação de evidências de aprendizado.

0. Antes de tudo, estudante comprova se (re)leu ou não o conteúdo indicado.

Seja em momento anterior ou posterior à apresentação do conteúdo, ao ser solicitado um resumo, pressupõe-se a necessidade de ler o texto. Essa é uma maneira quase infalível de garantir que cada pessoa, individualmente, fez a leitura do que foi solicitado.

1. Habilidade de escolher informações mais importantes. 

Em um conteúdo, sempre há informações consideradas chave para o entendimento. Saber encontrá-las e, mais ainda, conseguir pinçá-las diante da quantidade de didatismo e detalhamento que um material didático apresenta é uma habilidade a ser desenvolvida.

2. Habilidade de reescrever conceitos conforme seu entendimento.

Conseguir dizer a mesma coisa que um texto, mas usando outras palavras é uma habilidade útil em diversos contextos sociais. Quando aplicamos isso em um contexto escolar, é possível identificar se a pessoa realmente compreendeu o conceito quando ela é capaz de adaptá-lo ao seu linguajar.

3. Habilidade de suprimir conceitos marginais e/ou supérfluos.

Qualquer texto didático apresenta imagens, boxes e seções complementares que buscam auxiliar no entendimento do conteúdo, mas que não necessariamente se mostram essenciais para ele. Identificar quais são esses conteúdos em meio ao que de fato é cerne do capítulo é uma habilidade que auxilia inclusive na hora do estudo individual.

4. Habilidade de criar textos, conforme seus domínios vocabulares, gramaticais e textuais.

Constantemente, estudantes estão desenvolvendo a habilidade da escrita. É inocente pensar que somente docentes de Língua Portuguesa são responsáveis por auxiliar as turmas a desenvolverem essa habilidade. Indicar um equívoco textual ou gramatical sem necessariamente penalizar por isso é uma forma de qualquer professor(a) tem de auxiliar nessa jornada.

Baixe nosso material com dicas para fazer avaliações nas aulas a distância

Como usar os resumos durante as aulas a distância

Qualquer texto produzido pela turma precisa ser corrigido, revisado e, sempre que possível, reenviado para ser reescrito. Com a prática do resumo, essa correção proporciona feedbacks sobre a forma como se escreve ao mesmo tempo em que concede ao docente a oportunidade de saber se a turma está compreendendo adequadamente os tópicos fundamentais de um assunto.

É óbvio o desafio com turmas maiores, mas válido quando se pensa no ganho que se pode ter. Ideias-chave abordadas por alguns estudantes e esquecidas por outros podem ser retomadas em aulas posteriores, assim como ideias secundárias ou apresentadas de maneira equivocada podem virar alvo de feedbacks e correções de rota que facilitam a percepção do que precisa ser visto com mais atenção.

Nesse raro momento em que não é possível olhar nos olhos da turma e interpretar estudantes que estão tendo dificuldade (algo que só a sala de aula proporciona), fazer cada um e cada uma registrar o seu entendimento pode ajudar a tornar visível algo que, a distância, está ficando invisível.

Possíveis formas de solicitar um resumo a distância

  • Antes da aula:
    • peça para que enviem por e-mail um texto de, no máximo, 10 linhas com as informações principais (turmas pequenas);
    • peça para que a turma faça o resumo e, no início da aula, sorteie 2 a 3 pessoas para colarem o seu texto no chat, fazendo uma leitura coletiva.
  • Durante a aula:
    • após a exposição de uma parte do conteúdo, envie um Formulário Google com tempo estabelecido para a turma redigir um texto ou um fichamento sobre o que foi explicado; 
    • após a exposição de uma parte do conteúdo, envie um Formulário Google com tempo estabelecido para a turma redigir um texto ou um fichamento sobre o tópico seguinte;
    • use um documento colaborativo do Google para os(as) estudantes registrarem seus resumos em um só lugar. Você também pode sugerir que eles e elas usem os comentários para elogiar ou apontar as informações mais pertinentes ou que ficaram de fora do resumo dos(as) colegas.
  • Após a aula:
    • peça para que enviem por e-mail um texto de, no máximo, 10 linhas com as informações principais (turmas pequenas);
    • peça que elaborem um fichamento com os principais tópicos aprendidos e/ou com os pontos que ainda precisam de esclarecimento.

* Érick Nascimento é Gerente editorial do Geekie One, formado em Letras pela UFC e tem mestrado em Literatura Comparada pela mesma instituição. Após anos de experiência na sala de aula, na qual atuou desde o Ensino Infantil até o Ensino Superior, tornou-se coordenador pedagógico-editorial em um sistema de ensino.

Leia também:

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami