Volta às aulas: 3 maneiras de usar a tecnologia para motivar os alunos após as férias

Para milhões de estudantes brasileiros, o mês de julho é sinônimo de horas e mais horas em frente ao computador ou em conversas no Facebook e no WhatsApp, sem a menor preocupação com deveres escolares. Se já é um desafio conquistar e manter a atenção desse pessoal no meio de um semestre letivo, a coisa fica ainda mais complicada após um mês de férias. Mas estamos aqui para mostrar que a batalha não está perdida. Listamos algumas dicas para que você possa conquistar a atenção dos seus alunos aproveitando os recursos que eles mais usaram durante as férias.

  1. Crie grupos no WhatsApp

Esse aplicativo de mensagens instantâneas provavelmente foi companhia constante de seus alunos durante as últimas semanas. É verdade que fica difícil se concentrar enquanto notificações ficam chegando, mas você não precisa declarar guerra tão cedo. Em vez disso, que tal transformá-lo em aliado? Cada professor pode criar um grupo com os alunos de sua turma para compartilhar dúvidas e avisar sobre atividades. Só não se pode negligenciar um cuidado importante: deixar as regras bem claras sobre o tipo de mensagem e de comportamento aceitáveis no grupo. Os estudantes devem ser treinados a usar a tecnologia para os estudos, e não ditar as regras.

  1. Inclua filmes e séries nas aulas

Manter a atenção em uma aula expositiva é difícil para estudantes de qualquer idade e em qualquer época do ano. Por outro lado, filmes e séries costumam ter bons resultados em nos manter presos a uma tela (e foram feitos para isso). Serviços de streaming como o Netflix têm um catálogo bastante rico para educadores, incluindo de documentários sobre temas científicos a séries sobre Vikings na Idade Média (só avalie se os episódios que for passar ou recomendar aos alunos não contêm cenas que considere inapropriadas).

  1. Use o Facebook para facilitar o acesso a informações úteis

Assim como o WhatsApp, o Facebook é um perigo para a concentração. Mas ele também pode ser uma ótima ferramenta para (quem diria) ajudar a encontrar conteúdo relevante e útil. Crie um grupo por ali também. Enquanto o WhatsApp pode funcionar melhor para transmitir informações mais urgentes e pontuais (uma vez que sua interface não ajuda na leitura de mensagens mais antigas), o Facebook é um bom lugar para compartilhar links e textos interessantes – e, o melhor, para que se discuta sobre eles. Incentive seus alunos a se posicionarem e montarem argumentações para defender seus pontos de vista. Isso os ajudará a desenvolver senso crítico e melhorar sua capacidade de se comunicar. Projetos envolvendo a criação de páginas pelos próprios alunos (veja aqui como um professor de história fez isso) para falar sobre um tema específico também podem ser uma boa ideia.
Baixe o ebook gratuitamente: Por que os educadores precisam ir além do data show



Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami