40 coisas que vão acontecer com você quando virar professor

Leonardo Freitas, professor de Língua Portuguesa há 17 anos, lista 40 experiências pelas quais todo professor vai passar ao longo da carreira. Já aconteceram com você?

Antes de me tornar professor, eu sempre tive uma série de questionamentos – que, acabei descobrindo, apenas a profissão poderia responder! Em quase 17 anos de sala de aula, passei por coisas boas, ruins, péssimas, ótimas, enfim… experiências das quais pude extrair diversos aprendizados que considero essenciais na realidade de um profissional da educação. São esses ensinamentos que compartilho com vocês agora. Se você é ou deseja ser um educador, peço que leia com ouvidos, mente e coração abertos – com certeza, em algum dos momentos abaixo, você vai se encontrar:

  1. Você, professor, vai descobrir que tem mais força (física e psicológica) do que pensa;
  2. Seus colegas vão conhecer você melhor do que seus familiares (assim como você os conhecerá!);
  3. Você descobrirá que pode ser um(a) ótimo(a) pai/mãe (ou terá pavor da ideia!);
  4. Você, professor, descobrirá que o dia não tem apenas 24 horas… Mas, mesmo assim, sempre será pouco tempo para tudo o que precisa terminar;
  5. Você vai ver que o limite entre casa e trabalho é uma linha muito tênue e que, em muitas vezes, ele nem existe;
  6. Você vai passar a ser frequentador assíduo dos fast-foods entre os horários de troca de turnos;
  7. Você, professor, verá que ter apenas um emprego é para os fracos. E se orgulhará disso…
  8. Ainda que você conheça muitas pessoas novas a cada ano, vai decorar cada um de seus nomes por meses a fio, e, quando bater o olho naquele aluno, vai se lembrar dele instantaneamente;
  9. Você perceberá que seu corpo é geneticamente adaptado para funcionar horas seguidas sem longos períodos de repouso;
  10. Você se surpreenderá ao entrar em férias e, após 10 dias, ter vontade de voltar às aulas;
  11. Você, professor, vai virar o guru da família e o exemplo dos pais e avós;
  12. Você descobrirá duas realidades: quando tiver muito tempo livre, não terá muito dinheiro para gastar. Quando ganhar muito, não terá muito tempo para gastar;
  13. Você verá que feriados são, na verdade, eufemismos: sempre há uma pilha de provas que o aguarda no porta-malas;
  14. Você vai ter dois tipos de amigos: aqueles que são da sua área (com os quais você sempre falará dos alunos) e aqueles que não são (mas, mesmo assim, você vai incluir seus alunos nas conversas);
  15. Você será muito cobrado por resultados que nem sempre dependem de você. Caso ocorram, nem sempre o mérito é seu. Caso não ocorram, quase sempre a culpa será sua;
  16. Você aprenderá a ser humilde: o melhor elogio será a falta de crítica;
  17. Além disso, professor, você desenvolverá pernas fortes;
  18. Você provavelmente vai sofrer com insônia, que piorará com o passar dos anos;
  19. Você passará a falar alto, mesmo em momentos de silêncio absoluto;
  20. Você irá viver grandes dicotomias em sua vida, afinal, é normal que crie laços com aquelas pessoas que deveriam estar somente no campo profissional;
  21. Há grandes chances de que você, professor, se case com outro professor (outras pessoas não costumam nos tolerar);
  22. Você se tornará um ser imune a coisas que naturalmente debilitam seres humanos comuns, como o estresse e doenças contagiosas;
  23. Você se tornará uma criatura extremamente tolerante e aberta à diversidade, já que conhece diversos estilos de música, penteados, roupas e comportamentos sociais;
  24. Você verá que o ano se divide em três etapas: início (empolgação), meio (cansaço) e fim (exaustão). E aprenderá a lidar com isso;
  25. Você se tornará uma pessoa muito pontual e vai achar que atrasos, por menores que sejam, causam muito estrago;
  26. Você terá filhos preparados para a vida, já que dificilmente serão mimados por você (ou mesmo criados, dependendo do tempo);
  27. Você vai aprender na prática o significado da palavra “urgente”;
  28. Você aprenderá a respeitar hierarquias como ninguém, mesmo que nem sempre concorde com elas;
  29. Você concluirá que orgulho e vaidade são descartáveis se comparadas ao conhecimento;
  30. Você aprenderá a ser mais contido em seus gastos (quer queira, quer não);
  31. Você aprenderá a lidar com tecnologia (mais uma vez: quer queira, quer não);
  32. Você deixará de ser tímido;
  33. Você será o ídolo daquele parente “concurseiro”, ainda mais se for professor de Língua Portuguesa ou Matemática;
  34. Você terá dois períodos de férias por ano, o que causará inveja em muita gente;
  35. Você vai observar pessoas presas em escritórios e a rotinas maçantes, sabendo que nada disso fará parte de sua rotina. Aliás, você não terá “rotina”;
  36. Você, professor, não será uma vítima constante de crises ou ondas de desemprego. E, ainda que perca seu emprego, recolocar-se no mercado de trabalho não irá requerer tanto tempo ou esforço;
  37. Você nem sempre será recompensado como desejaria, mas será mais admirado do que poderia imaginar;
  38. Anonimato? Você nunca será anônimo! Muitos o reconhecerão após poucos anos de trabalho e, não importa aonde for, vai encontrar alguém que o conhece;
  39. Professor, você se tornará criativo. E disso dependerá sua sobrevivência;
  40. Se, após a leitura desse texto, você houver se identificado com ao menos uma característica, o vírus da sala de aula já está em seu sangue – será quase impossível fugir da Educação e suas delícias.

Apesar de nossa carreira possuir tantos percalços e pormenores, é algo pelo qual sou realmente apaixonado. E sei que, entre vocês, há outros tantos professores como eu, sempre ávidos e prontos para abraçar o mundo de seus alunos e suas famílias, suas dificuldades, suas alegrias e tristezas. Dentro desse caldeirão de emoções, expectativas, dúvidas e decisões estamos nós, quase que imbatíveis, na luta diária de uma profissão que, apesar de parecer ter pouco valor para alguns, é de grande valor para nós. Até a próxima!

Você também vai gostar de:

* Leonardo Freitas é graduado em Letras, com especialização em Literatura Brasileira. Leciona há 16 anos e desde pequeno queria ser professor. Já passou por todos os níveis, desde o Ensino Fundamental II ao Superior. Atualmente, trabalha com onze turmas de 8º e 9º ano e com turmas dos cursos superiores de Pedagogia e Enfermagem em instituições particulares de Brasília.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami