Como usar o Padlet para criar experiências de aprendizagem incríveis

Webquest, linha do tempo e playlists de conteúdos. Estas são as três sugestões para criar experiências de aprendizagem para aulas a distância e presenciais usando o Padlet, uma ferramenta de criação de murais intuitiva e fácil de usar.

Há algum tempo, é comum ouvir dos especialistas em educação a expressão “nativos digitais” ao comentarmos sobre estudantes que hoje ocupam as turmas de todos os segmentos escolares. Com essa referência, queremos sublinhar as novas habilidades, linguagens e hábitos que são comuns àqueles que nunca vivenciaram um mundo sem acesso à internet, aplicativos e ferramentas virtuais.

Isso não significa que utilizar ferramentas digitais em sala de aula seja uma opção evidente. Mobilizar essas novas habilidades para construir trocas de conhecimentos com as crianças e adolescente pode ser desafiador, mas é uma oportunidade para nos aproximarmos de um novo universo de possibilidades de engajamento, cooperação e construção de saberes.

Recentemente, todos os professores foram desafiados a deixar os espaços tradicionais de trabalho e se aventurar a trocar com estudantes em espaços virtuais. Seja através de encontros em chamadas coletivas de vídeo no Google Hangouts, atividades enviadas através de diferentes plataformas de aprendizagem, ou até mesmo gravando as exposições para que os alunos e as alunas possam assistir como vídeo-aulas, todos estamos explorando caminhos de reinvenção, que demandam novas ferramentas e, o que geralmente é mais desafiador, criar novas propostas de trocas de conhecimento e experiências em sala de aula. 

Conversando com professores e professoras de diferentes escolas espalhadas por todo o Brasil, posso dizer que existe um sentimento coletivo de busca, um anseio por novos caminhos que facilitem as interações virtuais com estudantes. O objetivo deles e delas é ajudar não só a aumentar a participação (“Como é difícil fazer um(a) adolescente ligar o microfone e a câmera”), mas também em tornar esses momentos prazerosos e instigantes para a curiosidade de todos (incluindo os professores e as professoras!). 

Como usar o Padlet para a criação de um mural digital

Os murais de sala de aula são ferramentas muito versáteis, utilizadas com frequência para informar estudantes sobre eventos, combinados, organização das aulas. Além disso, também é um espaço de compartilhamento das produções, onde podemos valorizar as criações da turma, dividir mensagens de apoio e expor projetos. Porém, sabemos que o acesso e visualização é sempre restrito a quem circula pela escola, às vezes apenas à própria turma. Por que não criar murais digitais que podem ser acessados, construídos e compartilhados pelos(as) estudantes à qualquer momento?

O Padlet é uma ferramenta digital para construção de murais virtuais colaborativos, acessíveis através do navegador de internet de computador ou aplicativo de celular. O acesso é gratuito, embora com algumas limitações em quantidade de murais disponíveis. Além disso, está disponível em língua portuguesa.

Escolha um modelo para seu mural

A criação de um mural é bastante simples. Primeiro, você precisará escolher um modelo de mural,  que são organizados em cartões de conteúdo. Os modelos podem ser estruturados como grades, prateleiras, linhas do tempo, ou até mesmo como salas de conversa. 

Convide sua turma para colaborar

Após escolher um modelo, você poderá convidar sua turma para colaborar na construção, postando cartões que podem conter imagens, vídeos, texto, links, gravações de áudio e outros formatos de arquivo. Eles também poderão deixar reações (estrelas, likes, notas) e comentários em diferentes cartões. 

Por fim, seus murais podem ser compartilhados e visualizados por diferentes pessoas, através de links ou convites, e até mesmo exportados como documentos PDF. 

Explorando uma playlist de conteúdos através de um mural

Uma aula expositiva não é o único caminho para apresentar um tema novo para estudantes e explorar as primeiras reflexões sobre determinado conceito. Para esta atividade, proponho que os(as) docentes criem uma playlist de materiais e conteúdos. A ideia é fazer uma seleção de vídeos, textos, ilustrações ou outros materiais que podem ser consumidos pelos(as) estudantes antes do encontro síncrono com a turma. Para este exemplo, escolhi criar uma playlist sobre as causas da Revolução Francesa:

Para adicionar cartões de conteúdo ao mural, clique no botão (+) na parte inferior direita da tela. Automaticamente, um cartão novo irá ser criado no mural, você só precisa inserir o material selecionado, seja um arquivo do seu computador, um link de um vídeo ou site ou muitas outras possibilidades (quase tudo, na verdade). 

Em seguida, compartilhe com os estudantes o acesso ao mural. O jeito mais fácil de fazer isso é simplesmente clicar em “compartilhar”, no canto superior direito da tela, que permite enviar o acesso ao mural através do e-mail, redes sociais ou Google Sala de Aula. 

É interessante apresentar aos estudantes diferentes pontos de vista e abordagens sobre o tema, em formatos variados. A intenção é que os(as) estudantes possam escolher alguns materiais para consumir antes da aula, deixando comentários sobre o que entenderam ou respondendo uma pergunta provocadora inicial. Para isso, é importante habilitar os comentários no mural, assim como reações para os cartões, clicando no botão com formato de engrenagem e deslizando até a seção “Postando”. Não esqueça de deixar as orientações para os(as) estudantes muito claras, para que eles possam navegar sem ansiedade entre os materiais escolhidos.

Organizando uma linha do tempo em grupos

A construção de linhas do tempo podem ser atividades muito dinâmicas, que se adaptam às diferentes áreas do conhecimento, indo muito além das aulas de história. Utilizando o modelo de linha do tempo do Padlet, conseguimos explorar novos temas, acompanhar como os(as) estudantes estão entendendo um processo ou até mesmo avaliar a aprendizagem de um grupo.

No exemplo abaixo, estou propondo que os(as) estudantes identifiquem as diferentes fases de desenvolvimento embrionário de uma célula e organizem em uma linha do tempo. Para isso, criei uma linha do tempo para cada grupo de três ou quatro estudantes, assim poderei ter produções mais diversificadas da turma. Para finalizar, pedi que cada integrante dos grupos poste um vídeo explicando brevemente o que entendeu do processo analisado. 

Para começar, os professores e as professoras precisam criar um mural escolhendo o modelo de linha do tempo. Em seguida, deverão criar cartões no mural, anexando as ilustrações que representam cada etapa do desenvolvimento embrionário e misturá-los, para que os estudantes possam trabalhar. O nível de dificuldade vai depender da quantidade de informações disponibilizadas pelo(a) docente, podendo tornar esta atividade mais ou menos desafiadora.

Por fim, é necessário convidar os estudantes para colaborar na construção do mural. Clique nos três pontinhos na lateral superior direita da tela e clique em convidar pessoas. Insira os e-mails dos estudantes e defina qual o nível de modificações eles estão autorizados a fazer. No caso dessa proposta, é necessário dar permissão de edição, para que possam alterar o posicionamento dos cartões na linha.

Essa proposta pode ser utilizada com diferentes temas, como vetores, construção de gráficos, sequências geométricas, escolas literárias e muito mais! 

Construindo uma webquest colaborativa

A última sugestão de atividade utilizando o Padlet é um pouco mais complexa, mas é uma ferramenta muito poderosa para envolver alunos e alunas em uma temática, desenvolver habilidades de pesquisa e resolução de problemas, assim como estimular o trabalho colaborativo.

Uma webquest é uma atividade orientada para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, utilizando recursos disponíveis na internet.  Para começar, a turma precisa se deparar com uma pergunta provocativa ou uma situação-problema que precise de uma solução criativa. 

A partir dessa introdução, os(as) estudantes são orientados a realizar tarefas que os(as) ajudem a encontrar caminhos de resolução que sejam desafiadoras, mas possíveis. 

Para começar, selecione o modelo de mural chamado “prateleira”. Nele, você poderá criar diferentes “estantes virtuais” verticais, nas quais é possível inserir os cartões. Primeiro você precisa dar um título para cada estante, como mostrado na imagem abaixo. 

Serão necessárias quatro estantes para esta atividade: a primeira é para o material introdutório sobre o problema, com um vídeo curto ou um texto provocativo; a segunda é para os cartões com tarefas que os(as) estudantes devem realizar, em ordem; em seguida, os(as) estudantes precisarão de uma estante com materiais de consulta que possam prover informações, insights e referências confiáveis, sem necessariamente responder a pergunta-norteadora da webquest; por fim, é necessário criar uma estante para que alunos e alunas possam criar seus próprios cartões, anexando suas produções. 

No exemplo abaixo, criei um mural sobre uma pergunta bastante comum entre os(as) estudantes que começam a estudar história antiga: “Como os(as) nossos(as) ancestrais puderam construir tantos monumentos sem as ferramentas tecnológicas que temos hoje?” Essa percepção sobre o passado é essencial para a construção da literacia histórica e a compreensão do ofício dos historiadores, mas se apoia em ideias e referências que os(as) estudantes já conhecem na grande mídia e no cinema. É necessário convidar os alunos e as alunas para colaborar com o mural e dar autorização para que criem seus próprios cartões. 

Novas ferramentas podem possibilitar abordagens e estratégias inéditas para nós professores e nossos estudantes! Espero que essas sugestões tenham ajudado a estimular nossa “imaginação pedagógica”!

Confira outras sugestões de recursos e experiências de aprendizagem:

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami