COMO VAI O IDEB DA SUA ESCOLA?

Você já ouviu falar do Ideb? A sigla significa Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Este índice é muito importante para as escolas de todo o país, públicas e também para a rede de escolas particulares, pois trata-se de uma avaliação externa que mede a qualidade da educação entre as instituições escolares, e por isso influencia em várias questões pedagógicas.
Você sabe como anda o Ideb da sua escola? Antes de descobrir, vamos conhecer mais sobre esse indicador!

Indicador de qualidade

O Ideb foi criado em 2007, pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), para avaliar as escolas do Brasil. O Ideb é calculado para as três etapas de ensino: anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5° ano), anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) e Ensino Médio.
O objetivo do Inep é apresentar, a partir dos números e estudos, resultados sintéticos e facilmente assimiláveis que permitam traçar metas de qualidade educacional para os sistemas e para cada escola individualmente, um grande avanço que só foi possível a partir da implementação da Prova Brasil. Assim, a partir de uma avaliação externa e de dados do Censo Escolar, as escolas podem ter uma visão mais ampla sobre seu desempenho e seu fluxo, o que permite a elaboração de planos pedagógicos e de gestão mais fundamentados a fim de melhorar a sua performance.

Das escolas para o país inteiro

Para que uma escola seja considerada de bom nível, ela deve obter uma nota igual ou maior do que 6. A partir disso, pode-se estabelecer metas do Ideb para cada escola, rede de ensino, município e estado, além de uma meta  nacional. Segundo dados referente ao Ideb de 2013, a média nacional para os primeiros anos do Ensino Fundamental é de 5,2 pontos. O número representou um aumento superior às metas previstas para os anos iniciais (1º ao 5º ano) do Ensino Fundamental em 0,3 ponto. Em 2011, o Ideb nessa etapa havia ficado em 5. A meta é que, até 2022, o país atinja a média de 6 pontos. Na rede estadual, a maioria das escolas superaram seus objetivos de alcançar 5 pontos em 2013. Já na rede particular, o Ideb teve queda nas notas do ensino médio e no último ano do fundamental (9º ano).

Alerta ligado

As metas que o governo estabeleceu para 2013 não foram atingidas por 21 estados. O Sergipe é um dos que está em situação mais alarmante. Em relação ao Ensino Fundamental, a nota passou de 3,3, em 2011, para 3,2, em 2013. No Ensino Médio, as escolas sergipanas ficaram na 21ª colocação.
O estado do Pará também apresentou índices negativos. Não é à toa que ele esteve com a porcentagem mais alta de situação alarmante: 51%. Isso significa que a maioria de suas escolas estão em situação crítica. Logo atrás, está o Maranhão, com 49%.
Dentre os que estão em pior situação, o Alagoas figura na última posição do ranking mais recente de Ensino Médio. O estado não aumentou em nada sua nota geral de 2,6, obtida em 2011. A meta era chegar a 3,2.
A situação é de alerta também para escolas particulares: em 2005, a rede privada teve nota 5,6. A nota se manteve nos dois exames seguintes, e em 2011 aumentou para 5,7. Agora registrou a pior marca: 5,4 pontos.

Positivo

Por outro lado, há estados que se destacaram no último Ideb. Minas Gerais e Santa Catarina, por exemplo, apresentaram altos índices nas avaliações das escolas, com uma porcentagem de 31%. Logo atrás, está o Paraná com 30% e São Paulo com 27%.
Outros estados que devem ser lembrados são Goiás e Rio de Janeiro. Ambos aumentaram suas notas para o Ensino Médio, atingindo, respectivamente, 3,8 e 3,6, superando as metas traçadas.
Caso você queira saber mais sobre a nota do Ideb, visite o site do QEdu,. Preparamos também um post sobre “Como é calculado o Ideb” Confira e continue com a gente no blog,  assim você fica por dentro de mais dicas e notícias sobre o assunto!




New Call-to-action




Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami