Ensino Híbrido: personalização e dados de aprendizagem como legado da pandemia

A maior inserção de tecnologia nas dinâmicas das escolas por conta da pandemia do coronavírus traz um reforço do Ensino Híbrido para as escolas. Um dos principais benefícios desta tendência é a maior visibilidade de dados e evidências do desenvolvimento de estudantes e currículos. Para debater este assunto, a Geekie e a Imaginie promoveram um bate-papo em conjunto. Assista!

A pandemia do Covid-19 trouxe um grande desafio para muitas escolas. Para aquelas que não tinham uma cultura de inovação e uso de tecnologias com intencionalidade pedagógica, o desafio foi ainda maior dada a necessidade de continuar as aulas de forma remota. Neste contexto, a aproximação dessas comunidades escolares ao Ensino Híbrido deve provocar uma mudança positiva no “novo normal”, quando as aulas presenciais voltarem e a readaptação à uma nova dinâmica pedagógica for concretizada.

O Ensino Híbrido, hoje, é uma tendência mundial. Em países como Austrália, Nova Zelândia e Estados Unidos, a pauta de inserir ou não tecnologias nas escolas já está superada. Nestes países os debates giram em torno de como aprimorar as experiências de aprendizagem para tornar o engajamento de estudantes cada vez maior – o Projeto Zero, da Universidade de Harvard, é o exemplo mais conhecido e concreto dessa massa crítica. Na contramão da tendência mundial, o Brasil continua com um sistema tradicional centrado apenas nas aulas expositivas e na transmissão do conteúdo.

Neste sentido, a análise do Fórum Econômico Mundial sobre os possíveis impactos da pandemia na educação, revela uma mudança imediata: milhões de pessoas no planeta estão sendo educadas graças à brecha digital que trouxe novas abordagens pedagógicas via uso de tecnologias. 

Sob a constatação do maior uso da tecnologia e da maior adoção do Ensino Híbrido em suas propostas pedagógicas, a Geekie e a Imaginie promoveram um debate sobre os benefícios desta tendência. O principal deles é a maior personalização a partir de dados e evidências de aprendizagem – uma possibilidade impulsionada pelo uso de tecnologias com intencionalidade pedagógica que traz mais visibilidade sobre o engajamento de estudantes e planejamento curricular para a coordenação e a gestão escolar.

O bate-papo especial aconteceu no dia 9 de junho. Quem compartilhou as visões das duas empresas de educação foram seus CEOs: Daniel Machado, fundador da Imaginie, e Claudio Sassaki, cofundador da Geekie e mestre em Educação pela Universidade de Stanford.

Veja mais informações e assista ao debate:

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Bitnami